domingo, 14 de abril de 2013

LITERATURA DE VIAGEM




LITERATURA DE VIAGEM
A literatura de viagem é uma memória das experiências de um autor visitando um local.
Na literatura de viagem existe uma coerência narrativa ou estética, diferente dos diários de viagem ou diários de bordo, que se caracterizam pelo simples registro de datas e evento.
Esta literatura, baseada em relatos de viagens reais, pode também ser uma ficção, como acontece em As Viagens de Gulliver de Jonathan Swift.
Entre os muitos exemplos famosos de literatura de viagem estão As Viagens de Marco Pólo, ou a Peregrinação de Fernão Mendes Pinto.

REGISTROS

A Epopéia de Gilgamesh - uma das primeiras obras da literatura. Os poemas mencionam as proezas e desventuras de Gilgamesh, rei de Uruk, na Mesopotâmia (atual Iraque). Estes escritos foram compilados em VII a. C. pelo rei Assurbanipal e antecedem em pelo menos 1500 anos os textos de Homero da Grécia.

Antiguidade
Odisséia (Homero), Eneida(Virgílio), Histórias (Heródoto).

Anábase - relato de Xenofonte, um general grego, sobre sua viagem pela atual turquia.


Odisseia é um dos dois principais poemas épicos da Grécia Antiga, atribuídos a Homero

É, em parte, uma sequência da Ilíada (obra existente da literatura ocidental, tendo sido escrita provavelmente no fim do século VIII a.C., em algum lugar da Jônia, região da costa da Ásia Menor então controlada pelos gregos, e atualmente parte da Turquia).

O poema relata o regresso do protagonista, um herói da Guerra de Troia, Odisseu (ou Ulisses, como era conhecido na mitologia romana). Odisseu leva dez anos para chegar à sua terra natal, Ítaca, depois da Guerra de Troia, que também havia durado dez anos.

Em português, bem como em diversos outros idiomas, a palavra odisseia passou a referir qualquer viagem longa, especialmente se apresentar características épicas.

Eneida - Conta a saga de Eneias, um troiano que é salvo dos gregos em Troia, viaja errante pelo Mediterrâneo até chegar à península Itálica. Seu destino era ser o ancestral de todos os romanos.

Virgílio terminou de escrever Eneida em 19 a.C.. A obra está "completa" mas não está ainda "pronta" segundo o seu criador. Virgílio gostaria ainda de visitar os lugares que aparecem no poema e revisar os versos dos cantos finais. Mas adoeceu e, às portas da morte, pediu a dois amigos que queimassem a obra por não estar ainda perfeita. O grande poema, , não foi destruído.

Idade Média
As Viagens de Marco Polo

(Marco Polo (Veneza, 15 de setembro de 1254 – Veneza, 9 de janeiro de 1324) foi um mercador, embaixador e explorador. Nasceu na República de Veneza.

Em plena Idade Média (1271), esse jovem mercador realiza uma viagem ao longo da Rota de Seda até a China, chamada por ele de Cathay (norte da China e Manji (Sul da China).

A Ásia na época era dominada pelas dinastias mongóis herdeiras do grande Gengis Khan, que fora Senhor da Ásia.

O relato detalhado das suas viagens pelo oriente, incluindo a China, foi durante muito tempo uma das poucas fontes de informação sobre a Ásia no Ocidente.

Essa narrativa de viagem, que durou 24 anos ao longínquo Oriente e encantou a muitos durante séculos, teve sua autenticidade confirmada no século XIX, quando estudiosos confrontaram-na com fontes chinesas e confirmaram o valor de suas informações. O itinerário seguido por Polo, foi feito por Paul Pelliot que, entre 1906 e 1908, exploraria a Ásia central e, particularmente, os oásis que marcavam as etapas da rota da seda. Marco Polo passou de contador de histórias fantásticas a pesquisador.

Dividida em quatro livros As Viagens de Marco Polo foi ditada pelo navegador a um escritor de romances, Rusticiano de Pisa (Rustichello da Pisa), , enquanto esteve preso por três anos em Gênova, entre 1298-1299.

Divisão do Livro As Viagens de Marco Polo

Livro 1 - Descreve as terras do Oriente Médio e Ásia Central ao longo do seu caminho.


Livro 2 - Descreve a China e o tribunal de Kublai Khan.

Livro 3 - Descreve algumas regiões do leste: Japão, India, Sudeste Asiático, e costa leste da Àfrica.

Livro 4 - Descreve algumas guerras entre os Mongóis e algumas regiões do Norte, como a Rússia.

Foi um livro de raro sucesso em uma época anterior à impressão.

Os livros foram traduzidos em latim, em 1315, pelo rei Francisco Pipino.

Em 1471, depois de traduzidos em várias línguas, foram impressos. Os manuscritos originais foram perdidos.

A primeira tradução portuguesa impressa surgiu em 1508, com o título Livro de Marco Polo.

Marco Polo morreu em 1324, com 69 anos. Em sua agonia, Marco teria afirmado que todos os detalhes de seu livro eram exatos e que não tinha contado nem a metade do que havia visto.

Códice Calixtino (manuscrito do século XII, coletânea de textos de autores diversos, ilustrados com iluminuras sobre o Caminho de Santiago

A Carta de Pero Vaz de Caminha

Carta de Pêro Vaz de Caminha, é o documento no qual Pero Vaz de Caminha registrou as suas impressões sobre a terra que posteriormente viria a ser chamada Brasil. É o primeiro documento escrito da história do Brasil sendo, portanto, considerado o marco inicial da obra literária no país.

Escrivão da frota de Pedro Álvares Cabral, Caminha redigiu a carta para o rei D. Manuel I (1469-1521) para comunicar-lhe o descobrimento das novas terras. Datada de Porto Seguro, no dia 1 de Maio de 1500.

A carta conservou-se inédita por mais de dois séculos no Arquivo Nacional da Torre do Tombo, em Lisboa. Foi descoberta em 1773 por José de Seabra da Silva, noticiada pelo historiador espanhol Juan Bautista Muñoz e publicada, pela primeira vez no Brasil, pelo padre Manuel Aires de Casal na sua Corografia Brasílica (1817).

Em 2005 este documento foi inscrito no Programa Memória do Mundo da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).


Renascença (Século XVI) - Era dos descobrimentos.

Voyages - Richard Hackluyt (1552-1616).
Relata as descobertas da Inglaterra em momento de expansão marítima.
Michel de Montaigne (1533-1592)- Journal de Voyage.
Relato de viagens pela Alemanha, Suiça e Itália.

1556 - Os Lusíadas (Camões).
A ação central é a descoberta do caminho marítimo para a Índia por Vasco da Gama, descrevendo ao longo do poema outros episódios da história de Portugal e glorificando o povo português.

Século XIX
Viagens científicas  aliam literatura à ciência incluindo o estudo de novas paisagens com a fauna e a flora consideradas exóticas.
Viagens de um naturalista ao redor do mundo (Charles Darwin).
As anotações e observações dessa jornada foram fundamentais para elaboração das teorias da evolução de seleção natural.

Século XX (Apogeu- década de 70 e 80).
Grandes obras da literatura de viagem utilizaram personagens baseados em fatos reais:

O Turista aprendiz (Mario de Andrade).

Crônicas de viagem (1999) - Cecília Meireles.

Budapeste (Chico Buarque).

Mongólia (Bernardo de Carvalho).

O Olhar do turista (John Urry).

As cidade invisíveis (Italo Calvino).

As Viagens de Gulliver (Jonathan Swift).

No País dos Yanques (Adolfo Caminha).

Lisboa: o que o turista deve ver (Fernando Pessoa).
Guia de Ouro Preto ((Manuel Bandeira).
O Grande bazar ferroviário (Paul Theroux) - conta a viagem de trem feita por Paul através de Europa, Oriente, Indochina, Japão e Sibéria. O objetivo dessa viagem é o trem, a sensação da viagem por trilhos, por estações em cidades pequenas, o desfilar das paisagens pela janela e a diversidade cultural das regiões.

A Viagem do oriente - Le Corbusier - Anotações do arquiteto franco-suiço trazem registro de roteiros pouco conhecidos até hoje pelos Balcãs, Atenas e Istambul. Descreve paisagens desconhecidas e insólitas.

Europa: Reportagens apaixonadas (Ronny-hein) - escritos sobre o continente europeu.

Parati, entre dois polos (Amyr Kink) anotações de bordo do navegador. Kink atravessou 50 mil quilômetros até chegar à Antárdida e às geleiras do Ártico.

Diários de bicicleta(David Byrne)  - A experiência de pedalar sobre duas rodas em metrópolis como Berlim, Nova York, Buenos Aires e Istambul.

A Incrível viagem de Shakleton (Alfred Lansing)

Caderno de viagem de Debret (Júlio Bandeira) - Registro de cenas, pessoas e costumes pontuam esta edição fac-símile do caderno de viagens do pintor francês Jean-Baptiste- Debret. Além de mostrar a elite do Rio de Janeiro no século XVII, apresenta um quadro permeado por uma população brasileira que era aos olhos do europeu bastante exótica.





Diário de Viagem ( Alberto Camus) - Publicado na França em 1978, a publicação traz os relatos do filósofo existencialista em relação aos EUA e À América do Sul (1949), com uma passagem inclusive no Brasil. No Brasil encontra-se com intelectuais, artistas e escritores e faz observações sobre eles e o país.




A Casa do califa: um ano em Casablanca (Tahei Shah) - a compra e a reforma de uma mansão no Marrocos é o mote para a narrativa.

Israel em Abril (Érico Verissimo)- Em companhia de sua esposa o escritor relata sua passagem em 1969 no novo Estado, levantando questões acerca do futuro de uma cultura que se torna uma civilização.

Gato preto em campo de neve (Erico Verissimo).

A volta do gato preto (Erico Verissimo).

As Crônicas do Brasil (Rudyard) - contém impressões do autor sobre o Brasil e o povo brasileiro.

O verde violentou o muro ( Inácio de Loyola Brandão). Berlim antes e agora.

Mar sem fim (Amyr Klink).

Bahia de todos os Santos (Jorge Amado).

Viagens(Rubens Matuck).

Comer, rezar, amar (Elizabeth Gilbert).

Mar sem fim (Amyr Klink).

Capitão Cook & a exploração do pacífico (Roger Morris).

Da Europa aos Himalaias ao volante (Adolpho Justo Bezerra de Menezes).

Perdido no mapa: mais de mil e um cantos do mundo onde me atirei ( Mauro do Amaral Arantes).

Marinheiro de primeira viagem (Osman Lins)

Autores que escreveram sobre Exílio e Literatura :

Ovídio, Thomas Mann; Victor Hugo; Joseph Brodsky;


Romance de viagem ou literatura nômade:

On The road  (Jack Kerovac);
http://pt.wikipedia.org/wiki/On_the_Road_(filme)

Lolita (Vladimir Nabokov).
http://pt.wikipedia.org/wiki/Lolita_(1962)

Viagem pela américa (Ernesto Che Guevara).
http://pt.wikipedia.org/wiki/Di%C3%A1rios_de_Motocicleta

Diários de bicicleta (David Byrne)
http://pt.wikipedia.org/wiki/Di%C3%A1rios_de_Bicicleta


Fonte:
wikipédia
http://pt.wikipedia.org/wiki/Marco_Polo


Veja  links e dicas de livros  sobre esse gênero:


Links sobre As Viagens de Marco Polo













A literatura de viagem como fonte da história social

Colóquio sobre literatura de viagens

Nenhum comentário:

Postar um comentário